Você projeta seus medos nas relações que estabelece

love-2055960__340

Meu filho de três anos recebeu um convite da escola para um passeio e minha reação imediata foi negar qualquer possibilidade de ele ir, já que não estaria sob a minha proteção.

Refletindo com mais calma percebi que o que me levou a dizer não, foi MEDO. Medo de que algo ruim pudesse acontecer ao meu pequeno, medo de algum acidente, medo dele se perder das professoras, medo de sequestro, medo de todas as terríveis coisas que achamos constantemente que pode nos acontecer.

Fiquei pasma com a quantidade de pensamentos ligados ao MEDO que vieram à minha mente!

E como faz parte do meu exercício diário de autoconhecimento e tudo aquilo que dele faz parte, inclusive o contato com minhas crenças, padrões e atitudes limitantes, pensei: Isso era meu? De onde vinham? O que despertou tanto medo?

Para validar se esse medo todo era meu mesmo, perguntei ao meu filho se queria ir ao passeio, e ele respondeu de forma livre e espontânea: “Sim mamãe”.

Confirmei! Eram as minhas limitações gritando NÃO para um simples passeio de escola pois estaria seguro sob a proteção das professoras e coordenadores.  E o que não foi surpresa alguma, ele não estava nem um pouco com MEDO de ir ao passeio. Pois ainda não tem implantado a crença de que tudo gera perigo. Sendo assim, não era justo impedi-lo de ir, nem tão pouco dividir com ele as minhas preocupações.

É claro que precisamos zelar pela nossa segurança e da nossa família, principalmente dos pequeninos que ainda não sabem se defender. Mas precisamos estar atentos como nos expressamos. Se é com zelo ou com medo. Se podemos ponderar o que é um simples passeio ou se é algo que realmente traz riscos.

Ter consciência de que o MEDO é nosso, nos responsabilizarmos por ele, nos permite cuidar disso por nós mesmos, nos torna lúcidos e decisores do que fazer com essa memória.

Dessa forma, ficamos com aquilo que é NOSSO e não projetamos nas relações que estabelecemos.

Temos a tendência de querer que o outro compartilhe e seja solidário com aquilo que está difícil de lidarmos. Vejo isso nitidamente nas relações entre casais. O medo DELE em ser traído a coloca em uma “redoma”, a sufoca e por mais que ela tente não dar motivos para desconfiança, ele sempre encontrará algo que deponha contra a fidelidade dela.

O medo DELA de engravidar e “manter” a maternidade sozinha, pois não tem certeza de que ele contribuirá com os cuidados com o bebê, o mantém em uma instância de incapacidade, de que “não será bom o suficiente” enquanto pai.

O medo DELA a impossibilita de avaliar quem realmente é o homem com quem está compartilhando sua vida e formando uma família.

Proponho um exercício a você!

Da próxima vez que sentir medo, seja ele qual for, faça perguntas antes de tomar uma decisão:

– Ele é real ou projeção de sua mente?

– De onde ele vem?

– Se constatar que é uma crença, um padrão adquirido quando criança, transmitido pelos seus pais, avós ou de qualquer adulto de seu convívio da época, se pergunte se faz sentido para você hoje manter esse medo?

– Você, por si só, conseguirá ressignificar, se libertar, caso não faça mais sentido para você, para que não o propague nas relações que estabelece?

Esse exercício é fantástico pois é a partir de perguntas, questionamentos que começamos a desafiar nossos sistemas de crenças, julgamentos e programações mentais.

Com essa nova consciência, permitimos o início do processo de libertação de padrões que adquirimos ao longo de nossas vidas e que nos aprisiona, limitando nosso potencial de felicidade, prosperidade e abundância!

Podemos contar com uma ferramenta terapêutica poderosa chamada Barras de Access Consciousness®, para nos auxiliar nesse processo de ressignificação, libertação de crenças limitantes e consequentemente abertura para novos padrões.

Trata-se de uma terapia energética ligada a cura quântica que promove, através de toques em 32 pontos na cabeça, o desbloqueio em níveis profundos de crenças adquiridas, sentimentos e pensamentos que o impedem de acessar sua CONSCIÊNCIA, ou seja, sua habilidade de continuamente despertar para as infinitas possibilidades que a vida lhe oferece.

Para finalizar esse texto deixo a você uma reflexão a partir da frase de Jean-Paul Satre:

“Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você”.

A ESCOLHA é SEMPRE sua!

 

Sobre a vida passar rápido

Ampulheta

Não é a vida que passa rápido mas os momentos que dela fazem parte.

Momentos esses que geralmente são vivenciados sem presença, somente de corpo e não ALMA.

Estamos na Era da tecnologia, comunicação e informação em tempo real. Tudo é rápido, urgente, necessário e prioritário. Sendo assim, o tempo é escasso.

Não há tempo de tomar o café da manhã em casa, com a família e conversarmos a respeito das expectativas, anseios, projetos de cada um, sendo que talvez essa seja a única refeição do dia em que estejamos juntos. Acordamos em cima da hora, verificamos nossas mensagens de Whatsapp, Facebook, E-mail… mal nos damos “bom dia” e saímos de casa atrasados… sem tempo…

Não há tempo para uma refeição tranquila, saboreando o alimento com uma conversa agradável com o colega de trabalho. Comemos rápido, com urgência porque temos muitos afazeres ao voltar, cobranças a dar conta, muitos e-mails a responder…

E assim momentos de nossas vidas passam por nós sem nos darmos conta, sem estarmos realmente presentes, conectados a eles.

Se estamos presentes, mente/corpo/alma, seja qual for o momento ganhamos qualidade de TEMPO em nossas vidas!

Criamos a realidade do tempo passar mais devagar e “dá tempo” de fazer todas as atividades que nos prontificamos a realizar sem esforço e a exaustão sentida principalmente ao final do dia.

Como fazemos isso?

Alcançando um estado INTERNO de presença através do autoconhecimento, reconhecimento de nossas REAIS prioridades, necessidades e praticando vinte minutos diários de técnicas meditativas e de relaxamento.

Não possui tempo para isso???

Então você deixará com que a vida passe rápido… a escolha é sempre sua!

 

Abraço carinhoso,

Daniella Gonçalves

Sobre o Amor, Desejo e Potência nas Relações Conjugais

woman-1369253__340

 

Ela chega toda falante… implicante… reclamante…

Ele em seu canto… retraído… tímido… calado… ausente…

Pergunto a ele o que o faz procurar por uma terapia integrativa de casal? Silêncio é o que se ouve…

Ela não suporta mais o silêncio dele, e se atina desesperadamente a preenche-lo… falante… implicante… reclamante…

A ignoro perguntando diretamente aos dois: “existe amor nessa relação”?

Ele responde… “vim aqui para descobrir”… ela chora desesperadamente…

 

O trecho acima é a transcrição de um fato real, ocorrido em minha prática como terapeuta integrativa.

Casais chegam até um trabalho terapêutico no auge de seus limites físicos, mentais, emocionais, energéticos… as brigas, conflitos diários, falhas na comunicação, desencontros de objetivos, necessidades, dinheiro, ás vezes traições… são muitas as queixas que um tem do outro, porém percebo que a real busca de todos é “se há amor, aonde ele se esconde nessa relação”?

Sempre digo e acredito verdadeiramente nisso que o entrelaçamento a dois inicia no deslumbramento –  COM AMOR, DESEJO e POTÊNCIA!

E acredito não menos verdadeiramente, que se a decisão é terminar, que seja no deslumbramento também – COM AMOR, DESEJO e POTÊNCIA!

Você deve estar se perguntando… “como assim”, “como se termina uma relação com esses sentimentos… termina-se com ódio, raiva, rancor, ressentimento…!!!”

Sim essa finalização é a clássica… padrão… convencional, mas… como proponho em minha prática a desconstrução de padrões, não seria diferente no processo terapêutico de casal.

Conduzo o casal primeiramente em uma jornada individual, no auto reconhecimento daquilo que é SEU na relação, suas projeções em cima do outro das quais tem a responsabilidade de CUIDAR e ELABORAR sozinho, para que, conscientes disso iniciem olharem juntos para as necessidades reais da relação, encontros, desencontros, desejos, potências e enfim, encontrarem o AMOR… como ele é, de que forma e expressão ele se apresenta nesse momento da vida a dois… seja para continuarem POTENTES juntos ou separados.

love-2042232__340Sim, potentes separados também, pois tendo ou não filhos em comum, se LIBERTAM para vivenciarem outras relações POTENTES, pois não há “amarras” energéticas prendendo pessoas, que um dia, funcionaram bem enquanto CASAL.

Minha proposta aqueles que passam por esse momento é se questionarem:

– Aonde está o AMOR nessa relação?

– Somos POTENTES juntos?

– Tenho conhecimento sobre minhas necessidades individuais? As necessidades do outro? E as necessidades da relação?

Boa reflexão!

Abraço carinhoso,

Daniella Gonçalves

Mãe e Pai, EU quero minha LIBERDADE!!!

feet-349687__340

Um tema recorrente no Círculo de Meninas, trabalho que desenvolvo em grupo com meninas de 10 a 14 anos, é a questão da liberdade. “Meus pais não me deixam ir e voltar sozinha da escola… ir ao cinema, shopping com meus amigos… sair para dar uma voltinha na rua com meu cachorro… ir a padaria sozinha…” Elas se queixam muito com relação a isso!

Abordo com elas, para um início de reflexão, três pontos:

  • O que é liberdade para você?
  • O que faria se a tivesse?
  • Sente-se autoconfiante e segura para lidar com as situações adversas e responsabilidades que decorrem dela?

E, na maioria das vezes, elas a querem mas não possuem ideia do que é tê-la…

Iniciamos então uma jornada investigativa para compreensão do QUERER e PODER no sentido daquilo que podem bancar dessa liberdade e de seus limites. E no entendimento disso, conseguem travar um diálogo seguro com seus pais para que possam expressar essa liberdade que é individual, não aquela comparada com a liberdade que a amiga, ou amigo possuem, de forma que fique bom e confortável para ambos os lados.

E percebo movimentos maravilhosos!!! Elas florescem!

Algumas começam a irem e voltarem sozinhas da escola, outras levam os cachorrinhos para darem uma voltinha no quarteirão…

Mas a forma, distância, os limites não tolhem a sua expressão e sentem-se livres, dentro de suas possibilidades internas e externas para conquista-la aos poucos, com paciência, segurança e autoconfiança!!

 

Você já ouviu falar em Barras de Access Consciousness®?

ijjbh

Fonte imagem site www. projetoadamkadmon.com.br

 

“Consciência é a habilidade de estar presente em sua vida a cada momento, sem julgamento sobre você ou outra pessoa. É a habilidade de receber tudo, nada rejeitar, e criar tudo o que deseja na vida – maior do que você tem atualmente e mais do que pode imaginar.

E se você estivesse disposto a se nutrir e a se cuidar? E se abrisse as portas para ser tudo que decidiu que não é possível ser? O que se requer para você perceber o quanto é crucial para as possibilidades do mundo?”

Gary Douglas – Criador da Técnica Barras de Access Consciousness®

Muito provável que, ao ler a frase “… receber tudo, nada rejeitar, e criar tudo o que deseja na vida – maior do que você tem atualmente e mais do que pode imaginar”, você se pergunte… “Isso é possível”? “Como faço isso”?

E justamente a partir do estar na pergunta e não na resposta, como fazemos na maioria das vezes, é que iniciamos desafiar nossos sistemas de crenças, pontos de vista e julgamentos… Não há LIMITES!

Barras de Access Consciousness® é uma ferramenta terapêutica ligada a cura quântica que promove, através de toques em 32 pontos na cabeça, desbloqueios em níveis profundos de crenças adquiridas, sentimentos e pensamentos que o impedem de acessar sua CONSCIÊNCIA, ou seja, sua habilidade de continuamente despertar para as infinitas possibilidades que a vida lhe oferece.

Durante a sessão (que pode variar de 5 a 10) de Barras de Access Consciousness® o terapeuta ao tocar em uma Barra, dá início à liberação dos registros e um processo de limpeza energética e desprogramação de crenças, pontos de vista e juízos de valor que criam limitações à criatividade, dinheiro, relacionamentos interpessoais, esperanças e sonhos, sexualidade, corpo, alegria, cura, bondade, gratidão, comunicação, criação de novas formas de vida, entre outras.

Faça perguntas diariamente e sinta as surpresas e mudanças que ocorrerão  em sua vida!

  • O que mais é possível?
  • Como posso melhorar isso?
  • Quais são as infinitas possibilidades?
  • Será que um ser infinito escolheria verdadeiramente isso?
  • Quem sou eu hoje e que grandes aventuras gloriosas terei?
  • O que o planeta exige de mim?
  • Que escolhas tenho realmente?
  • O que sou grato por hoje?
  • O que seria necessário para que isso se torne muito maior do que eu poderia imaginar?
  • Se eu estivesse vivendo minha vida hoje, o que eu escolheria?

 

As aulas começaram, e agora?

baby-878770__340

Essa época do ano é, para muitos pequeninos, o ingresso a vida escolar sendo um mundo de possibilidades até então desconhecidas. Significa deixar o acolhimento, amparo, carinho e proteção dos pais, ou da mãe, ou do pai, ou da avó, ou do avô… ou seja, de seu cuidador habitual… e isso ASSUSTA!

É um ciclo natural da vida que será transposto com o tempo… com o tempo da criança na compreensão e elaboração interna dos sentimentos, paciência e amor dos adultos próximos.

painting-1207701__340 (1)

Podemos também contar com as essências florais como grandes aliadas nesse momento. O Floral composto através das essências de flores, ajudará a criança na elaboração de sentimentos que muitas vezes ainda não consegue nomear, verbalizar e consequentemente  são expressados através do comportamento (agressivo, desinteressado, apático, ansioso, carente , triste…), bem como no físico –  a criança adoece.

Realizo atendimento, acompanhamento de Florais de Saint Germain, presencial ou via Skype.

Quer saber mais?

Entre em contato comigo!

terapeuta@daniellagoncalves.com.br